Pedra Viva

“Pedra Viva” é um projeto inspirado numa série de micro práticas relacionadas com flores e plantas, algo que a artista desenvolve desde 2016. Estas micro práticas consistem em observar, recolher e identificar pequenas plantas, que depois são usadas no seu trabalho em cerâmica. Muitas vezes servem de inspiração para conseguir formas mais orgânicas, outras vezes são parte constituinte da obra. A “Pedra Viva” quer ser uma ilha habitada por vários seres, povoada de micro cosmos, onde plantas naturais se confundem com as formas orgânicas de cerâmica criando um cenário exuberante de formas e cores. Para permitir a habitabilidade da peça serão criados pequenos vasos que irão dar abrigo a algumas plantas, como musgos e umbigos de Vénus, por serem plantas que não necessitam de manutenção e crescem facilmente em pouca terra. Outros dos seres convidados a habitar a peça serão os insetos, que terão umas pequenas “casas”, simples orifícios, onde poderão realizar as suas metamorfoses.

Esta peça é potenciadora de uma relação entre o público e a floresta do Fontelo. Sendo uma espécie de “jarra” gigante, onde o público é convidado a participar, a completar ou a alterar a obra. Para isso propõe-se um exercício de contemplação da natureza envolvente, onde se vão descobrindo elementos, como flores, ramos, folhas que, depois, podem ser integrados na peça. Como se fosse um jogo onde tentamos descobrir onde as peças encaixam, construindo aos poucos um arranjo floral coletivo.
A peça acompanha as diferentes estações do ano, vai medindo o tempo, cada composição estará dependente dos elementos naturais próprios de cada época.

Ficha técnica

Pedra Viva, 2019

Autoria: Liliana Velho
257 x 237 x 394 cm
Cerâmica: Grés rosado, engobes e vidrados de tons verdes e azuis
Mata do Fontelo /40.6590300, -7.8990940

Liliana Velho

Liliana Velho (Lisboa, 1985) é uma artista visual, que tem dois corações, um em Viseu e outro em Montemor-o-Novo. Licenciou-se em Escultura da Universidade de Belas Artes de Lisboa (2009) e possui mestrado em Artes Visuais pela ARCA, Coimbra (2012). Nos últimos anos, Liliana tem-se dedicado à escultura em cerâmica, escolhendo o barro como o material mais importante na sua prática. Também trabalha com diferentes meios, como desenho, escultura e a instalação. Desde 2015, expõe regularmente, em exposições individuais e em coletivos de arte colaborando com outros artistas. Atualmente vive e trabalha em Viseu.

Localização

Mata do Fontelo
Viseu, Portugal
40.6590300, -7.8990940

Ver percurso no Google Maps.