Sentinela do Fontelo

Uma presença, antropomórfica, dialoga com a única árvore que ocupa o centro da clareira. Uma construção, rigorosa e arquitetónica, confronta e acompanha o elemento vegetal, selvagem na sua naturalidade. Entre os dois “seres” verticais estabelece-se uma ligação que cria um espaço denso de referências, energético e magnético, que atrai os visitantes para uma comunhão consciente com a natureza.

Ficha técnica

Sentinela do Fontelo, 2020

Autoria: Rui Sanches
345 x 132 x 78 cm
Contraplacado de bétula e Dibond
Mata do Fontelo / 40.6586220, -7.8992770

Rui Sanches

Estudou no Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual, Goldsmiths’ College (BA 1980) e na Yale University (MFA 1982).
Em 1984 expôs pela primeira vez individualmente o seu trabalho. Desde então realizou mais de quarenta exposições individuais de que se destacam a exposição retrospectiva no CAM da F. C. Gulbenkian (2001), “MUSEUM” no Museu Nacional de Arte Antiga (2008), “Dentro do desenho” (2014) na Fundação Carmona e Costa e “Espelho/Mirror” (2019), na Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria Nacional e no Museu Coleção Berardo. Participou em dezenas de exposições colectivas, em Portugal e no estrangeiro. O seu trabalho está representado nas principais coleções públicas portuguesas. Tem diversas obras em espaços públicos, nomeadamente em Santo Tirso, Alcobendas (Espanha), estação de metro Olaias (Lisboa), Assembleia da República (Lisboa) e Ribeira das Naus (Lisboa). Em 2008 recebeu o Prémio AICA/Ministério da Cultura.

Localização

Mata do Fontelo
Viseu, Portugal
40.6605420, -7.8991220