Planeta Primário / Bóia Sideral

Vivi 20 anos com esta esfera no jardim da minha casa.
Por vezes quando a olhava via nela geografias planetárias.
As diferentes cores e tonalidades da ferrugem espelhavam camadas de tinta de períodos diferentes.
A geografia destes continentes “cicatrizados” foi o resultado dos embates violentos dos navios que durante anos usaram esta bóia como uma das balizas de entrada e saída do Rio Tejo.
Neste processo de potencial acidente e embate com os navios, os sulcos mais ou menos profundos foram surgindo e ao longo dos anos rasgaram rios e edificaram montanhas.
Aqui, agora, na Mata do Fontelo, acredito que as águas e a ferrugem continuarão a esculpir estes continentes.

Ficha técnica

Planeta Primário/Bóia Sideral, 2019

Autoria: Miguel Palma
160 x 160 cm
Ferro
Mata do Fontelo / 40.6586940, -7.9016390

Miguel Palma

Nascido em 1964, vive e trabalha em Lisboa. O trabalho de Palma lida frequentemente com questões sobre desenvolvimento tecnológico, ecologia, a crença em imagens, a ideia de poder, o mundo infanto-juvenil, a obsessão pela máquina. A sua arte desdobra-se em desenho, escultura, instalação multimédia, vídeo, livros de artista e performance.

2018
Exposições Individuais
– ‘A origem do mundo’, Museu Carlos Machado, Ponta Delgada, Portugal
– ‘Da Colecção em Braga : Miguel Palma’, Museu Serralves – Museu de Arte Contemporânea, Porto, Portugal
– ‘Recolector Trangénico’, MNAC, Museu do Chiado, Lisboa, Portugal
– Miguel Palma A-Z, MAAT Museum of Art, Architecture and Technology, Lisboa, Portugal
– ‘A-Z’, MAAT Museum of Art, Architecture and Technology, Lisboa, Portugal
(…)

Localização

Mata do Fontelo
Viseu, Portugal
40.6586940, -7.9016390

Ver percurso no Google Maps.