BalmacedaProposta

Espelho de Água

“Espelho de Água” é uma obra site-specific que se inspira nas formas e construções de observação astronómica da América pré-colombiana, propondo um tipo de arquitetura efémera de observação no Parque do Fontelo. Através o uso de uma rampa para andaimes, uma construção encontrada no parque é transformada numa plataforma para observar os arredores. Ao aceder à plataforma, o visitante pode aproximar-se de uma espécie de torre com um “espelho de água”: um contentor com água da chuva que reflete o sol, o céu e a paisagem circundante. Essa forma de observação através da água e o reflexo da luz foram usados ​​na América do Sul pela cultura inca para observar o cosmos e adorar o sol e a chuva.

Ficha técnica

Espelho de Água, 2019

Autoria: Elisa Balmaceda
300×400 cm aprox.
Mata do Fontelo / (Coordenadas a definir)

Elisa Balmaceda

Elisa Balmaceda (Santiago de Chile, 1985) vive  e trabalha entre Berlim e Santiago. Completou a Licenciatura em Artes Visuais na Universidad Católica de Chile (2007) e posteriormente obteve um Mestrado em Artes Média na Kunsthochschule für Medien Köln (Academia de Artes Média de Colonia), Alemanhã, graças a uma bolsa DAAD (Serviço de Intercâmbio Académico Alemão). Através de uma práctica multidisciplinar, que incorpora objetos, fotografia, vídeo, instalacão e luz, a artista explora no seu trabalho o  vínculo entre arte, paisagem, tecnologia e pensamento mágico.

O seu trabalho já foi exibido em diversas instituições e espaços culturais, tanto no Chile como em Espanha, Alemanhã, Bélgica, Sérvia, Colombia, Estados Unidos da América e Argentina. Em 2016 recebe o prémio anual atribuído a mulheres artistas recém-formadas pela Academia de Artes Média de Colonia, e foi selecionada  pelo programa VISIT – Artist in Residence Program (Alemanhã) para desenvolver um projeto de arte e investigaão em torno da energia e o meio ambiente.

Recentemente foi-lhe concedido o primeiro prémio no concurso de Arte Pública do Ministério de Obras Públicas da Alemanhã, por um projecto coletivo que será construído em 2019 na Universade de Colonia. Atualmente trabalha como docente e colabora com diversos espaços, curadores, artistas e projetos, publicações e oficinas artisticas que acontecem tanto na Europa como na América Latina